Home » Notícias » Presidente da SNA defende mudança na legislação dos agrotóxicos

Presidente da SNA defende mudança na legislação dos agrotóxicos

Com a aprovação do PL, “o agricultor terá à sua disposição fármacos mais modernos e eficientes, que poderão aumentar sua produtividade. A sociedade ganhará alimentos mais seguros e haverá menor impacto ao meio ambiente”Moacir Neto, com agência

O Projeto de Lei de autoria do deputado Covatti Filho (PP-RS) acende o debate em torno da alteração na legislação que rege os agrotóxicos. O texto da matéria dispõe sobre a Política Nacional de Defensivos Fitossanitários e de Produtos de Controle Ambiental, seus Componentes e afins. O PL 3200/15, asseguram seus defensores, tem como objetivo garantir o acesso a defensivos agrícolas mais modernos e seguros para o consumidor e competir em igualdade no mercado internacional. “Qualquer pessoa de bom senso e que tenha mínimos conhecimentos sobre o assunto é favorável ao PL 3200. Precisamos disponibilizar aos nossos agricultores produtos fitossanitários de ultima geração, que são mais eficientes e menos tóxicos”, diz o presidente da Sociedade Nacional de Agricultura (SNA), Antonio Alvarenga (foto).

Também está em discussão a pesquisa, a experimentação, a produção, a embalagem e rotulagem, o transporte, o armazenamento, a comercialização, a propaganda comercial, a utilização, a importação e a exportação. Trata ainda do destino final dos resíduos e embalagens, o registro, a classificação, o controle, a inspeção e a fiscalização de defensivos fitossanitários e de produtos de controle ambiental, seus componentes e afins.

Alvarenga conversou com a reportagem da Safra, na manhã desta sexta-feira, 13, e lembrou que a ciência está em permanente processo de evolução, realizando pesquisas para o desenvolvimento de novos e melhores defensivos vegetais. “Estamos atrasados em relação a outros países. Não é possível continuar aguardando anos e anos para aprovação de um novo produto. O que se pretende é apenas simplificar o processo de aprovação pelos órgãos competentes, reduzindo a burocracia.”

Para o executivo, o projeto propõe a informatização do processo de registro de um novo pesticida e o estabelecimento de um prazo para avaliação do produto. A coordenação do processo ficará a cargo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), mantendo as análises da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e do Ministério do Meio Ambiente. “Hoje, as análises desses órgãos são feitas de forma independente, gerando sobreposição de tarefas e dilatação dos prazos. Vamos ganhar maior transparência no processo e colaboração entre os órgãos responsáveis pela aprovação”, acredita Alvarenga.

A matéria, que revoga as Leis nº 7.802, de 1989 e 9.974, de 2000, ainda tramita na Câmara dos Deputados. O anseio da SNA, diz o executivo, é que haja bom senso, sobretudo dos parlamentares que se debruçam sobre a pauta. “Apelo ao bom senso das pessoas, notadamente dos parlamentares. A decisão precisa ser embasada em dados técnicos, científicos e econômicos. Há muita informação equivocada que vem sendo divulgada de forma irresponsável. Fico impressionado com as opiniões manifestadas por pessoas que não entendem do assunto e sequer leram o texto do projeto.”

Alvarenga é taxativo ao dizer que “alguns usam argumentos falsos por má fé. Outros, por ingenuidade. A matéria foi amplamente discutida na Comissão da Câmara dos Deputados que analisou o PL”. Foram realizadas, segundo ele, diversas reuniões e nove audiências públicas com a participação de cientistas, médicos, representantes de universidades, órgãos federais e reguladores nacionais e internacionais e entidades do setor agrícola.

Com a aprovação do PL, “o agricultor terá à sua disposição fármacos mais modernos e eficientes, que poderão aumentar sua produtividade. A sociedade ganhará alimentos mais seguros e haverá menor impacto ao meio ambiente”. Questionado sobre possíveis riscos com a aprovação do projeto, Alvarenga não titubeia: “Vejo risco de nossa agricultura perder competitividade, caso a nova legislação não seja aprovada.”

Portal Revista Safra, com informações da Sociedade Nacional de Agricultura e Agência Câmara Notícias

O post Presidente da SNA defende mudança na legislação dos agrotóxicos apareceu primeiro em Portal Revista Safra.

Powered by WPeMatico

Check Also

Com safra de 228 milhões de toneladas, exportações já somam US$ 49 bilhões

A China manteve-se como principal destino das exportações do agronegócio brasileiro no primeiro semestre deste ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *