Home » Notícias » Mais de R$ 2,5 bilhões em negócios

Mais de R$ 2,5 bilhões em negócios

Na Tecnoshow Comigo deste ano, o volume é 47% maior do que o registrado no ano passado. Com número recorde de público e expositores, feira já tem data marcada para 2019

Se no ano passado a Tecnoshow Comigo movimentou R$ 1,7 bilhão em negócios e foi marcada pelo otimismo, na edição deste ano os números surpreenderam ainda mais. A 17ª edição da maior feira de tecnologia agrícola do Centro-Oeste registrou mais de R$ 2,5 bilhões em volume de negócios no período de 9 a 13. O número é recorde, se comparado às edições anteriores. Em 2016, foram R$ 1,3 bilhão. Mais de 106 mil pessoas visitaram o Centro Tecnológico Comigo (CTC), que neste ano contou com a presença de 550 expositores de diferentes segmentos. A Cooperativa Agroindustrial dos Produtores Rurais do Sudoeste Goiano (Comigo) já confirmou também a data da feira para 2019. Será entre os dias 8 e 12 de abril, em Rio Verde, no sudoeste goiano.

Presidente da Comigo, Antonio Chavaglia, durante entrevista coletiva nesta sexta-feira, 13, disse que este foi um ano promissor em todos os sentidos, tanto para os produtores rurais quanto para as empresas presentes na feira. “Os números de 2018 foram bastante expressivos e gratificantes, porque mostram o resultado do trabalho em equipe e a importância da união de esforços em prol de viabilizar o agronegócio. Pessoas de vários estados visitaram a feira e puderam perceber a integração que existe entre produtores, a Cooperativa e o público”, ressaltou.

Chavaglia disse ainda que houve desafios ao longo do último ano, econômicos e políticos. “Mas nós, produtores rurais, estamos acostumados a desafios e enxergamos 2018 com otimismo. Apesar de tudo o que estava acontecendo no País, trabalhamos para promover renda e sustentabilidade. Cada vez mais vamos continuar a produzir alimentos”, destacou.

Durante os cinco dias da feira, foram apresentadas tecnologias e novidades em máquinas, veículos e equipamentos agropecuários, insumos e resultados de pesquisas, além de demonstrações e lançamentos de novas variedades de cultivares, plots agrícolas em vários experimentos, apresentações, palestras com especialistas renomados e dinâmicas de animais. Também foram disponibilizadas linhas de crédito e financiamento voltados ao produtor rural, por meio de instituições financeiras, e atividades diversas pensadas para todos os envolvidos no agronegócio brasileiro.

Observando o impacto econômico da feira, o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico Sustentável de Rio Verde, Denimarcio Borges, disse que, no período da feira, a rede hoteleira no município e também das cidades vizinhas atingiu 100% de ocupação, além do aumento de 40% no movimento da BR-060, e crescimento de 6% de movimentação no maior shopping de Rio Verde.

“A feira tem um impacto muito importante no comércio de Rio Verde e permite que muitas pessoas venham conhecer a nossa cidade. O que é mais marcante para todos com quem tive a oportunidade de conversar é a organização da feira e isso mostra a capacidade do povo de Rio Verde, sobretudo da Comigo, naquilo que é capaz de fazer”, elogiou. O secretário finalizou ressaltando o potencial do evento para atração de investimentos. “Nós usamos a Tecnoshow hoje como cartão de visitas e usamos isso como abertura de portas das empresas para atrair novos investimentos para Rio Verde”, afirmou.

Palestras – Aproximadamente 5 mil pessoas buscaram conhecimento por meio de mais de cem palestras/dinâmicas realizadas nos cinco dias do evento nos auditórios 1 e 2 do CTC, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Casa da Embrapa), Sistema Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg/Senar), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-GO), Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater), Universidade de Rio Verde (UniRV) e nos estandes de alguns expositores.

Com capacidade para 700 pessoas, o auditório 1 foi palco para importantes debates ligados ao agronegócio brasileiro. Entre os temas deste ano: Manejo nutricional de sistemas de produção; Agricultura Digital; Integração Lavoura Pecuária; Mercado, perspectivas e tendências da pecuária de corte para 2018; Para onde a pecuária brasileira está indo; Perspectivas e cenários para a safra brasileira 2017/2018; e Inovação que gera transformação no agronegócio.

Já nos outros espaços, os temas em destaque foram mais técnicos, desde fundamentos da piscicultura; cultivo de orquídeas; produção de silagem de milho; regularização ambiental; recuperação de nascentes; controle de nematoides; recuperação de pastagens; cultivo de amendoim; novas cultivares de banana; entre outros.

Novas tecnologias, informação, exposição de animais, dinâmicas, equipamentos que auxiliam no aumento de produtividade e opções de investimentos foram atrações da área de pecuária na Tecnoshow Comigo 2018. O público pôde acompanhar novidades de raças de bovinos, equídeos, ovinos, peixes, entre outros. Foram mais 1,5 mil participantes das dinâmicas e mil animais presentes, sendo que a maioria estava disponível para comercialização.

Pensar Valore – Depois de oito meses de muito trabalho para se adequarem às normas da Round Table Responsable Soy (RTRS), uma associação internacional de soja responsável, seis produtores de Rio Verde e região receberam, durante a feira, um certificado que atesta para o mercado a produção consciente do grão – econômica, social e ambientalmente falando. O reconhecimento marcou o final da primeira etapa do Programa de Evolução e Gestão Sócio Ambiental Responsável, o Pensar Valore, e serviu como ponto de partida para a disseminação de boas práticas agrícolas que contribuam para a sustentabilidade no setor agropecuário.

Sementes – A Comigo recebeu, durante a feira, o selo de excelência em tratamento de sementes, certificado pela Syngenta. De 54 parceiros que a Syngenta tem no Brasil, só cinco possuem essa certificação, incluindo a cooperativa goiana. Para a obtenção do selo foram analisados o cumprimento de cinco exigências: licenciamentos ambientais; saúde, segurança e meio ambiente; entrega de boletins de germinação e vigor para avaliação de qualidade; manutenção prévia de equipamentos; e a análise das amostras propriamente ditas, para monitoramento das doses nas sementes tratadas. A análise é feita no laboratório Seedcare Institute, em Holambra (SP). A Comigo é a primeira empresa do Estado de Goiás a receber o reconhecimento.

Portal Revista Safra, com informações da Comigo

O post Mais de R$ 2,5 bilhões em negócios apareceu primeiro em Portal Revista Safra.

Powered by WPeMatico

Check Also

Sem ações preventivas, milho voluntário causa prejuízos em lavouras de soja

As plantas daninhas estão entre os principais limitantes da produtividade das culturas. As perdas podem ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *